VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

CONCURSO DELEGADO DE POLÍCIA

CONCURSO PÚBLICO DE INGRESSO NA CARREIRA DE DELEGADO DE POLÍCIA
ACADEMIA DE POLÍCIA - SP / AGOSTO DE 2000
MEDICINA LEGAL
61) Os sulcos cervicais típicos de enforcamento e de estrangulamento são, respectivamente,
a. horizontal descontínuo e oblíquo contínuo.
b. oblíquo contínuo e horizontal descontínuo.
c. horizontal contínuo e oblíquo descontínuo.
d. oblíquo descontínuo e horizontal contínuo.

62) A necropsia médico-legal, conforme preceitua o Código de Processo Penal, pode ser realizada, do momento da constatação do óbito da vítima
a. a qualquer hora, pois já se constatou a morte.
b. apenas 2 horas após, quando aparecem os últimos fenômenos abióticos imediatos.
c. apenas 6 horas após, quando fenômenos abióticos consecutivos estão bem evidentes.
d. apenas 12 horas após, quando o início da putrefação já é evidente.

63) A câmara de mina de Hoffmann
a. já pode ser notada ao exame externo do cadáver.
b. só pode ser observada ao exame de ossos do crânio.
c. só pode ser observada ao exame interno do cadáver.
d. só pode ser observada ao exame por raio X.

64) Pode-se admitir que a ré, ao matar o próprio filho, estava inteiramente privada da capacidade de entender o caráter criminoso de seu ato, se na ocasião ela
a. era portadora de personalidade psicopática.
b. estava sob estado puerperal.
c. sofria de esquizofrenia.
d. sofria de neurose compulsiva.

65) No sistema de Vucetich para a classificação de impressões digitais, os algarismos 1, 2, 3 e 4 correspondem, respectivamente, às figuras de
a. arco, verticilo, presilha interna e presilha externa.
b. arco, presilha interna, presilha externa e verticilo.
c. verticilo, presilha interna, presilha externa e arco.
d. verticilo, arco, presilha interna e presilha externa.

66) Noticiou-se, há tempos, que certo lutador de boxe, durante uma contenda, mutilou uma orelha do adversário com uma dentada. Ao exame, um médico legista reconheceria, no órgão ofendido, uma ferida
a. incisa.
b. corto-contusa.
c. cortante.
d. pérfuro-cortante.
67) Certas pessoas sofrem de um desvio de conduta sexual que as pode levar a furtar compulsivamente e a colecionar peças do vestuário íntimo, como calcinhas femininas, "soutiens", cuecas etc. Tal desvio recebe o nome de
a. "voyeurismo".
b. mixoscopia.
c. fetichismo.
d. uranismo.

68) Substância extraída de determinada espécie vegetal, ao ser ingerida, proporciona visões de divindades, espíritos benéficos e maléficos, em rituais místicos. Tal substância pode ser considerada
a. psicomimética.
b. psicoléptica.
c. psicoanaléptica.
d. psicodisléptica.

69) Dentre as diversas provas para a identificação de pessoas ou cadáveres, não é de caráter genético a
a. tipagem de sangue.
b. pesquisa de marcadores do DNA.
c. pesquisa de antígenos do sistema HLA.
d. pesquisa de impressões digitais.

70) A pesquisa de espermatozóides em secreção retirada do interior da vagina, para a comprovação de conjunção carnal, deve ser feita, habitualmente, através de
a. exame ao microscópio.
b. dosagem de fosfatase ácida.
c. análise de DNA.
d. Observação de cristais de Teichmann.




61 - D
62 - C
63 - A
64 -C
65 - B
66 - B
67 - C
68 - D
69 - D
70 - A



QUESTÕES E GABARITO DA PROVA PREAMBULAR DO CONCURSO PARA DELEGADO DE POLÍCIA DP-1/2002


18.- Ao examinarmos o cadáver de uma jovem verificamos: face edemaciada e cianótica, língua escura projetada além das arcadas dentárias, pequenas equimoses na face e pescoço, sulco horizontalizado, uniforme, contínuo, por baixo da cartilagem tireóide. Podemos determinar a morte por
a) estrangulamento.
b) enforcamento.
c) esganadura.
d) sufocação direta.

19.- A manifestação de um fenômeno transformativo destrutivo pode se verificar pela
a) coagulação sangüínea.
b) mancha hipóstase.
c) circulação póstuma de Brouardel.
d) Lei de Nysten.

20.- Criminoso portador de personalidade patológica, caracterizada por pobreza nas reações afetivas, conduta anti-social inadequadamente motivada, carência de valor, ausência de delírios, falta de remorso e senso moral, incapacidade de controlar os impulsos e aprender pela experiência e punição, denomina-se
a) delinqüente essencial.
b) psicopata.
c) delinqüente psicótico.
d) neurótico.


18 - a
19 - c
20 - b


CONCURSO DE INGRESSO À CARREIRA DE DELEGADO DE POLÍCIA – DP 1/03 - PROVA PREAMBULAR REALIZADA EM 28/09/2003

MEDICINA LEGAL
89. O médico-legista pode deduzir que o tiro foi disparado com a boca do cano da arma encostada ou apoiada na cabeça da vítima ao observar
a) hematoma subcutâneo.
b) zona de esfumaçamento sobre a pele.
c) esfumaçamento na superfície óssea.
d) zona de tatuagem sobre o couro cabeludo.
90. A cianose, presente nas asfixias mecânicas, resulta
a) do aumento da concentração sangüínea de gás carbônico combinado com a hemoglobina.
b) da ausência de oxigênio na circulação sangüínea.
c) da drástica diminuição da circulação sangüínea na cabeça.
d) da congestão facial.
91. Em casos de eletrocussão não é raro observar-se intensa cianose no cadáver. Nestes casos pode-se deduzir que a morte foi provocada por
a) parada cardíaca imediata, por ação da eletricidade.
b) asfixia mecânica por sufocação indireta.
c) paralisação do tronco encefálico (bulbo), por ação da eletricidade.
d) por alteração química do sangue, por ação direta da eletricidade.
92. A substância química, quando ingerida, provoca uma certa euforia, aumenta a autoconfiança, elimina as sensações de fadiga, sono, fome e sede. Deduz-se que ela é uma droga
a) psicodinâmica.
b) psicoléptica.
c) psicoanaléptica.
d) psicodisléptica.
93. São fenômenos abióticos consecutivos
a) a insensibilidade, a imobilidade e a rigidez cadavéricas.
b) a imobilidade, a rigidez e o espasmo cadavéricos.
c) a parada circulatória, a hipóstase e o resfriamento cadavérico.
d) o resfriamento, a dessecação e a rigidez cadavéricos.
94. As ausências de espermatozóides na vagina e no canal anal
a) afastam definitivamente as ocorrências de conjunção carnal e de coito anal.
b) afastam definitivamente a ocorrência de conjunção carnal, mas não a de coito anal.
c) afastam definitivamente a ocorrência de coito anal, mas não a de conjunção carnal.
d) não afastam definitivamente as ocorrências de conjunção carnal e de coito anal.
95. Examinando diretamente a polpa digital do polegar direito de uma pessoa, um papiloscopista verificou que sua impressão digital seria classificada como presilha interna, pelo sistema de Vucetich. No caso, as linhas que desenhariam a(s) figura(s) do delta estavam
a) presentes à esquerda do examinador
b) presentes à direita do examinador.
c) ausentes.
d) presentes à direita e à esquerda do examinador.
96. Preconiza o art. 162 do CPP que “a autópsia será feita pelo menos 6 (seis) horas depois do óbito...” Tal preceito tem fundamento na Medicina Legal, pois, a contar do momento da morte,
a) somente após 6 horas os fenômenos abióticos imediatos se completam.
b) somente após 6 horas os fenômenos abióticos imediatos atingem a intensidade máxima.
c) após 6 horas os fenômenos abióticos consecutivos habitualmente estão bem evidentes.
d) ao redor de 6 horas depois, costuma aparecer a mancha verde abdominal.
97. O sulco cervical típico, encontrado no cadáver de vítima de enforcamento por suspensão completa é, habitualmente,
a) horizontal, interrompido e de profundidade desigual.
b) oblíquo, interrompido e de profundidade desigual.
c) horizontal, contínuo e de profundidade uniforme.
d) oblíquo, contínuo e de profundidade uniforme.
98. A embriaguez patológica se caracteriza pela
a) dependência física ao álcool por uso imoderado e freqüente.
b) desproporção entre a intensidade da embriaguez e a quantidade de álcool ingerida.
c) grande tolerância ao álcool por uso habitual.
d) ocorrência de demência por embriaguez crônica.
99. Observando o espectro equimótico, o médico-legista pode avaliar
a) o tempo de evolução da equimose.
b) os limites da equimose.
c) a intensidade da equimose.
d) a extensão da equimose.
100. São sintomas comuns que integram uma síndrome psicopática (manifestação de personalidade psicopática)
a) excitação afetiva com instabilidade emocional, fuga de idéias e atos desordenados.
b) afetividade embotada em que a ideação e a afetividade mostram-se dissociadas e perda de contato com a realidade.
c) manifestação de intensa angústia com um comportamento de inadaptação à realidade, incapacidade de desviar o interesse de si mesmo e sensação de insuficiência afetiva e sexual.
d) egocentrismo patológico, falta de remorso ou vergonha, pobreza geral nas relações afetivas e incapacidade de seguir um plano de vida.




089-C
090-A
091-B
092-C
093-D
094-D
095-A
096-C
097-B
098-B
099-A
100-D

sábado, 8 de novembro de 2008

MATÉRIA DA PROVA

Para prova, a matéria irá até delinqüência.
A parte a posteriori não cairá, nem na prova, nem no exame.

Matéria:
sexologia
+
psiquiatria forense (mais psiquiatria forense)

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO
A vida existe para ser vivida, não adiada.

Quem sou eu

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

COMO NASCEU ESTE BLOG?

Cursei, de 2004 a 2008, a graduação em Direito na Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (FDSBC).

Registrava tudo o que os professores diziam – absolutamente tudo, incluindo piadas, indicações de livros e comentários (bons ou maus). Por essa razão, eram as anotações bastante procuradas.

Entretanto (e sempre existe um entretanto), escrevia no verso de folhas de rascunho, soltas e numeradas no canto superior direito, sem pautas, com abreviações terríveis e garranchos horrorosos que não consigo entender até hoje como pudessem ser decifradas senão por mim.

Para me organizar, digitava os apontamentos no dia seguinte, em um português sofrível –deveria inscrever sic, sic, sic, a cada meia página, porque os erros falados eram reproduzidos, quando não observados na oportunidade em que passava a limpo as matérias -, em virtude da falta de tempo, dado que cumulei o curso com o trabalho e, nos últimos anos, também estagiei.

Em julho de 2007 iniciei minhas postagens, a princípio no blog tudodireito. A transcrição de todas as matérias, postadas em um mesmo espaço, dificultava, sobremaneira, o acompanhamento das aulas.

Assim, criei, ao sabor do vento, mais e mais blogs: Anotações – Direito Administrativo, Pesquisas – Direito Administrativo; Anotações – Direito Constitucional I e II, Pesquisas – Direito Constitucional, Gramática e Questões Vernáculas e por aí vai, segundo as matérias da grade curricular (podem ser acompanhados no meu perfil completo).

Em novembro de 2007 iniciei a postagem de poemas, crônicas e artigos jurídicos noRecanto das Letras. Seguiram-se artigos jurídicos publicados noJurisway, no Jus Navigandi e mais poesias, na Sociedade dos Poetas Advogados.

Tomei gosto pela coisa e publiquei cursos e palestras a que assistia. Todos estão publicados, também, neste espaço.

Chegaram cartas (pelo correio) e postagens, em avalanche, com perguntas e agradecimentos. Meu mundo crescia, na medida em que passava a travar amizade com alunos de outras faculdades, advogados e escritores, do Brasil, da América e de além-mar.

Graças aos apontamentos, conseguia ultrapassar com facilidade, todos os anos, as médias exigidas para não me submeter aos exames finais. Não é coisa fácil, vez que a exigência para a aprovação antecipada é a média sete.

Bem, muitos daqueles que acompanharam os blogs também se salvaram dos exames e, assim como eu, passaram de primeira no temível exame da OAB, o primeiro de 2009 (mais espinhoso do que o exame atual). Tão mal-afamada prova revelou-se fácil, pois passei – assim como muitos colegas e amigos – com nota acima da necessária (além de sete, a mesma exigida pela faculdade para que nos eximíssemos dos exames finais) tanto na primeira fase como na segunda fases.

O mérito por cada vitória, por evidente, não é meu ou dos blogs: cada um é responsável por suas conquistas e a faculdade é de primeira linha, excelente. Todavia, fico feliz por ajudar e a felicidade é maior quando percebo que amigos tão caros estão presentes, são agradecidos (Lucia Helena Aparecida Rissi (minha sempre e querida amiga, a primeira da fila), João Mariano do Prado Filho e Silas Mariano dos Santos (adoráveis amigos guardados no coração), Renata Langone Marques (companheira, parceira de crônicas), Vinicius D´Agostini Y Pablos (rapaz de ouro, educado, gentil, amigo, inteligente, generoso: um cavalheiro), Sergio Tellini (presente, hábil, prático, inteligente), José Aparecido de Almeida (prezado por toda a turma, uma figura), entre tantos amigos inesquecíveis. Muitos deles contribuíram para as postagens, inclusive com narrativas para novas crônicas, publicadas no Recanto das Letras ou aqui, em“Causos”: colegas, amigos, professores, estagiando no Poupatempo, servindo no Judiciário.

Também me impulsionaram os professores, seja quando se descobriam em alguma postagem, com comentários abonadores, seja pela curiosidade de saber como suas aulas seriam traduzidas (naturalmente os comentários jocosos não estão incluídos nas anotações de sala de aula, pois foram ou descartados ou apartados para a publicação em crônicas).

O bonde anda: esta é muito velha. A fila anda cai melhor. Estudos e cursos vão passando. Ficaram lá atrás as aulas de Contabilidade, Economia e Arquitetura. Vieram, desta feita, os cursos de pós do professor Damásio e da Gama Filho, ainda mais palestras e cursos de curta duração, que ao todo somam algumas centenas, sempre atualizados, além da participação no Fórum, do Jus Navigandi.

O material é tanto e o tempo, tão pouco. Multiplico o tempo disponível para tornar possível o que seria quase impossível. Por gosto, para ajudar novos colegas, sejam estudantes de Direito, sejam advogados ou a quem mais servir.

Esteja servido, pois: comente, critique, pergunte. Será sempre bem-vindo.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches